Subscribe

RSS Feed (xml)

Powered By

Skin Design:
Free Blogger Skins

Powered by Blogger

terça-feira, 16 de agosto de 2011

O TEMPO EXISTE COMO SE FOSSE UMA DANÇA - POEMA - SYLVIA BEIRUTE


























O TEMPO EXISTE COMO SE FOSSE UMA DANÇA

o tempo existe como se fosse uma dança,
há uma beleza intransigente
ao passar do dia
que se incorpora na morte
em contagem regressiva.
e então
para me iludir dei a volta à desilusão,
para me afastar dei a volta à vontade de parar,
para ser mãe dei a volta à casa das mães.
e nada se me correspondia.
a magnificência eram só palavras que
cresciam todos os dias,
a força comprimia todo o hermético,
as preferências procuravam uma condição melhor.
e tu disseste
seremos felizes como um raio de sol,
lento, iludido, magnífico;
há um rigoroso silêncio a manter,
a entrada é como uma escolha,
a forma é uma ilha que encanta demónios.
e depois um raio de sol pousou
na tua beleza intransigente,
na tua alma esperando o vento,
na dança que dissolvia o corpo no sangue.
e eu fechei os olhos
como um «muito obrigado e até sempre».
.
Sylvia Beirute
inédito
.

4 comentários:

  1. não me canso dos teus poemas.

    por mais feios que os aches, dentro deles há substância-pérola.

    G.

    www.celularubra.blogsot.com

    ResponderEliminar
  2. "para me iludir dei a volta à desilusão,
    para me afastar dei a volta à vontade de parar,
    para ser mãe dei a volta à casa das mães.
    e nada se me correspondia."


    ______________ Gostei. muito

    ResponderEliminar